Não diga que eu sou especial

por Mariana Zirondi

Que bobagem essa coisa toda de dizer que eu sou especial. Não, eu não sou. Acerto e erro na mesma proporção com que você foge dos seus conflitos. Não sou especial simplesmente porque não sou melhor ou pior que ninguém. Com essa sua categorização de mulheres, a única coisa que você consegue fazer oscilar o seu ego ao simplesmente julgá-las boas ou ruins para você. 

Pois fique sabendo que as mulheres não devem ser classificadas e nem divididas em vários rótulos como se as fossem colocar em prateleiras prontas para o consumo. As mulheres possuem em seus frascos mais do que tabela nutricional que define a sua composição.

Elas têm o poder de se transformar, mesmo quando embaladas e lacradas, mudando seus ingredientes na medida em que encontram caras como você, que simplesmente não sabem reconhecer o sabor da coragem, a força do amor próprio e a beleza do caráter. Elas são capazes de incrementar qualquer prato que lhes é proposto, porque, meu bem, talvez você nunca entenda, mas o melhor das mulheres é o poder de se reinventarem mesmo que a chama seja tão quente que borbulhe os sentimentos dela por dentro.

Eu não sou especial porque não estou aqui disposta a esperar pelos seus julgamentos e para você me dizer qual é o momento certo de ser exatamente aquilo que eu quero ser. Especiais somos todas nós que temos sonhos, que acordamos com vontade de fazer a diferença, que nos colocamos em situações desafiadoras simplesmente porque sabemos que não importa o que iremos fazer, simplesmente faremos bem feito.

Eu não sou especial porque para ser especial é preciso que você me compare com outras mulheres e as mulheres são incomparáveis. Eu não sou especial porque essa é a forma que você encontrou de fugir da mulher que eu sou e que você não é capaz de suportar. Ser mulher está muito além de querer ser especial para alguém, está em simplesmente ser mulher e ter a coragem de assumir tudo o que sente, deixar arder as dores, se confrontar com todas elas e encontrar uma solução. 

Se, por algum momento deixei você pensar que eu queria ser especial para você, já adianto que foi um grande mal entendido. Minha intenção não é ser especial para alguém, minha intenção é ser capaz de olhar a minha volta e enxergar que jamais, em hipótese alguma, eu poderia ser especial para alguém que não enxerga o quanto as mulheres não precisam de classificação toda vez que usam seu direito de livre escolha. 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s